Pare de xingar o seu banco e aprenda a usar o mercado financeiro a seu favor

     A decepção que algumas pessoas possuem com os bancos muitas vezes está ligada à forma como administram as suas finanças e, consequentemente, a quantidade de juros que pagam para eles.

     Apenas para conhecimento histórico, o banco mais antigo do mundo ainda em atividade é o Monte dei Paschi di Siena, fundado em 1472, na Itália. No Brasil, o primeiro banco a funcionar foi o Banco do Brasil, fundado em 1808 através do alvará do príncipe regente D. João VI. Os bancos são instituições que fazem transações com o dinheiro de seus clientes. Simplesmente, eles tomam o seu dinheiro que está guardado no banco e emprestam à outros clientes, cobrando juros destes para se manterem. Os bancos possuem um papel social e econômico muito importante, pois emprestam dinheiro tanto para pessoas físicas, quanto para pessoas jurídicas, para que possam realizar os seus sonhos e objetivos como, por exemplo, a compra de um novo carro ou da casa própria e abrir uma empresa.

     Muitos brasileiros não possuem conhecimentos em finanças pessoais e investimentos. Também não possuem um planejador financeiro para lhes ajudarem a buscar melhores aplicações financeiras para realizarem os seus sonhos. Diante disto, eles acabam confiando no gerente do banco de onde possuem uma conta corrente aberta, onde quase sempre seguem à risca o que este profissional lhes indica em relação onde investir o pouco dinheiro que eles possuem. O problema aqui apresentado é que o seu gerente do banco representa a instituição para o qual ele trabalha, logo irá defender os interesses dela. Esse gerente na verdade é um vendedor que irá direcionar o seu trabalho para bater as metas de vendas de produtos financeiros que a empresa a qual ele trabalha definiu. Quando você está na fila do caixa do banco e o bancário lhe pergunta “não quer investir R$ 50,00 no novo título de capitalização Super Mega do Milhão e ainda concorre a prêmios?” ou quando o seu gerente oferece um determinado plano de previdência privada ou um CDB que rende 80% do CDI, não significa que eles estão preocupados com o seu futuro e sim em bater as metas de vendas daquele mês que o banco impôs à eles. Você pode me dizer “mas, eles são uns canalhas”. Eu afirmo que não são, pois estão fazendo apenas o trabalho deles. Cabe à você saber identificar se o que eles estão lhe oferecendo é o produto financeiro ideal para os seus objetivos.

     Perceba que o banco vai ganhar dinheiro quando você decide contratar um crédito consignado, utilizar o cheque especial para bancar o padrão de vida que você não tem, realizar um financiamento, tomar um empréstimo ou aceitar a oferta que o bancário ou seu gerente lhe ofereceu. Essa forma do banco ganhar dinheiro com você se chama juros. Agora, existe uma forma de você usar o banco à seu favor e ganhar dinheiro deles que é começar a investir. Os bancos, para emprestar dinheiro para os outros clientes, precisam primeiro captar esse dinheiro e para isto fazem propagandas para que você e outras pessoas apliquem seus rendimentos em conta poupança, em CDB e outros produtos financeiros. Para isto, estão dispostos a lhe pagar juros. Quando um banco lhe oferece uma aplicação em CDB que rende 80% do CDI em 2 anos, na verdade, ele está pedindo o seu dinheiro para emprestá-lo à um terceiro e que, se em 2 anos você não resgatar esse dinheiro, ele lhe devolverá o dinheiro aplicado inicialmente mais juros de 80% do CDI. Agora, o que o banco mais gosta é que você deixe o seu dinheiro parado na conta corrente, pois como ela não tem rendimento, ele empresta esse seu dinheiro parado para muitas pessoas, ele recebe juros delas e você não recebe nada de juros do banco.

     A educação financeira nos proporciona essa visão de como os bancos funcionam e de, ao invés de só reclamarmos deles, podermos tirar proveito também. O que é importante frisar que, em se tratando de investimentos, há no mercado produtos financeiros mais interessantes que não são oferecidos pelos bancos e sim pelas corretoras de investimento. Por isso, por exemplo, se a sua intenção é investir em CDB, é importante sempre comparar o que o seu banco está oferecendo de rentabilidade e o que os bancos e corretoras concorrentes também estão oferecendo, pois geralmente, estas últimas oferecem CDBs muito mais rentáveis. Frisando, é claro, que sejam observados também o risco envolvido e as instituições por trás destas operações.

     Espero que você ao ler este artigo tenha uma nova visão do mercado financeiro e de que você tem a liberdade de escolher de qual lado quer estar: (1) do lado de quem não gosta do mercado financeiro e que xingam os banqueiros ou (2) daqueles que compreendem a dinâmica do mercado e procuram tirar proveito para rentabilizar as suas aplicações financeiras para realizar mais sonhos.

     Gostou deste artigo? Me ajude a divulgá-lo compartilhando para a sua rede social de amigos. Também me envie dúvidas, críticas e sugestões de temas que deseja ler aqui no meu blog. A sua opinião e participação são muito importantes, pois eu acredito muito que o Brasil será um país de primeiro mundo quando tivermos uma população totalmente educada financeiramente.

     Abraços e até o próximo artigo.

 

2 comentários em “Pare de xingar o seu banco e aprenda a usar o mercado financeiro a seu favor”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s